Saneamento deveria ser Direito Constitucional

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã debateu Água e Saneamento no dia 09 de abril de 2018, no auditório do Museu do Amanhã. Na ocasião, Édison Carlos (com o microfone na foto), Presidente Executivo do Instituto Trata Brasil, e um dos debatedores, defendeu que o direito ao acesso ao saneamento deveria ser um Direito Constitucional. 

Enquanto algumas cidades no Brasil estão próximas à universalização do acesso à coleta de esgoto, outras possuem realidade bem diferente do ideal. Saneamento impacta na saúde e no desenvolvimento local e deveria ser acessível a todos. 

“Em pleno século XXI nós temos quase 35 milhões de brasileiros que não têm acesso a nenhuma água tratada; metade da população ainda não tem acesso a coleta de esgoto; e só 44% do esgoto que o Brasil produz é tratado. Na região Norte, que é o berço das águas do país, nem 10% das pessoas têm coleta de esgoto. Se a gente conseguisse, em vinte anos, resolver o problema do saneamento, o que ganharia em redução de custos de saúde, melhoria da educação, do valor dos imóveis, do turismo, da produtividade do trabalhador mais a renda gerada pelos próprios investimentos, descontando todo o custo de R$ 320 bilhões, sobrariam, líquidos, R$ 537 bilhões para o Brasil", afirmou Édison Carlos. 

2018: Brasil do Amanhã - Saneamento Básico

2018: Brasil do Amanhã - Édison Carlos