Precisamos valorizar a cultura indígena

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã debateu o tema Florestas na noite de 17 de setembro de 2018, no auditório do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, André Baniwa, presidente da Organização Indígena da Bacia do Içana (OIBI), líder de um grupo de povos indígenas do Alto Rio Negro, perto da fronteira do Brasil com a Colômbia e a Venezuela, deixou claro sua ligação à tradição de seu povo e, ao mesmo tempo, à nacionalidade brasileira. E mostrou que as comunidades estão se organizando para compartilhar com a sociedade as riquezas de seus territórios sem abrir mão de sua terra e sua cultura.

Em sua fala, Baniwa deixou clara a importância de valorizar a cultura indígena, assim como se faz com os recursos naturais encontrados em seus territórios. Segundo ele, devemos reconhecer os povos indígenas como parceiros, para aproveitar a biodiversidade da floresta para desenvolver tecnologia. "A produção do conhecimento no país deve considerar também a contribuição indígena, que é passada de geração em geração, e não se restringir ao que está nos livros, na maioria das vezes baseados em conceitos estrangeiros", afirmou.

Sabedoria Indígena

2018: Brasil do Amanhã - André Baniwa