Conceito de moradia precisa acompanhar ciclo de vida

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã debateu Mobilidade Urbana e Cidades Inteligentes na noite de 11 de junho de 2018, no auditório do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o arquiteto e urbanista Washington Fajardo (foto), fundador da WAU Agência Urbana, afirmou ver as cidades como a grande prioridade a ser enfrentada pelo próximo governo. Para ele, é preciso pensar mesmo em termos de design, para rever o modelo da expansão urbana e adotar uma política habitacional séria.

Segundo ele, a primeira medida para o país deverá ser adotar uma política habitacional que reverta o modelo atual de expansão urbana, que constitui periferias informais insolúveis. "A política habitacional precisa compreender o sentido da moradia ao longo da vida de uma pessoa. Assim, deve-se pensar em uma política para o jovem, outra para a família estabelecida e ainda outra para a terceira idade", sugeriu.

Fajardo também defendeu a revisão dos planos diretores, pois eles estão se tornando peças cartoriais, com uma coleção de políticas utópicas, quando deveriam apresentar claramente quando, onde e o quê será produzido. 

2018: Brasil do Amanhã - Washington Fajardo