Desmatamento zero não é utopia

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã debateu o tema Florestas na noite de 17 de setembro de 2018, no auditório do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, Adalberto (Beto) Veríssimo, cofundador do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) ressaltou a importância de deter do desmatmento, que é persistente e já afeta em torno de 20% da região. Porém, para reverter esse quadro, ele admite que é preciso dinheiro e ciência, e também atrair investidores que queiram apostar na riqueza da biodiversidade.

Para termos desmatamento zero, precisamos, entre outros aspectos, combater ferozmente o desmatamento ilegal, manter a legislação que regulamenta a conservação da floresta e transformar as florestas que ainda não estão protegidas em unidades de conservação ou outras categorias de áreas protegidas.

A Amazônia precisa de uma agenda de longuíssimo prazo, que promova a valorização da floresta, conte com parceiros internacionais e seja encarada como estratégica para o Brasil. Não há uma solução homogênea para toda a Amazônia, pois há várias situações dentro da região.

2018: Brasil do Amanhã - Adalberto Veríssimo