Brasil do Amanhã e os ODS da ONU

O Brasil do Amanhã e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS

Brasil deve focar nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para ser um país mais próspero e menos desigual para as próximas gerações.

 

Por: João Souza e Silva* e Maitê Gauto** 

 

Passado o processo de implementação dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio - ODM (2000-2015), os 193 países membros da Organização das Nações Unidas pactuaram novas metas para a promoção do desenvolvimento no mundo, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS. Após um intenso processo de construção, que se iniciou em 2012, durante a Conferência Rio+20, foram estabelecidos 17 objetivos em 169 metas a serem cumpridas tanto por países desenvolvidos, quanto em desenvolvimento, e que devem ser adaptadas às realidades de cada Estado signatário.

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável incluem desde a erradicação da pobreza e da fome, à redução das desigualdades sociais, à promoção da igualdade de gênero, do consumo sustentável, do combate às mudanças climáticas etc. Saiba mais sobre os ODS.

 

Miniatura

 

Perto de se completar três anos de início do novo processo dos ODS, é latente a movimentação e mobilização de diversos setores da sociedade em relação à nova agenda, cujo prazo é 2030. Enquanto o processo dos Objetivos do Milênio ficou demasiadamente focado sobre as responsabilidades de governos para se atingir os objetivos acordados, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável estabelecem maior transversalidade entre setores da sociedade, partilhando assim com empresas, ONGs e diversos setores da sociedade os esforços para se atingir as metas universais acordadas. Neste cenário, dois princípios orientadores da implementação dos ODS merecem destaque: a redução das desigualdades e, ao mesmo tempo, o compromisso de “não deixar ninguém para trás”.

Nesse contexto, conhecer a própria realidade local/territorial é tarefa primordial para balizar qualquer ação. Diagnósticos são fundamentais para a construção de planos de ação orientadas a resultados e que permitam a mensuração dos impactos na direção do cumprimento dos ODS. Se construídos coletivamente, com a participação plural dos diferentes stakeholders envolvidos na implementação, podem ser transformados em importantes instrumentos para o engajamento de diversos setores da sociedade, levando a resultados concretos.

Hoje, no Brasil, tem sido noticiado retrocessos em diferentes indicadores sociais, ambientais e econômicos e que nos colocam em posição mais distantes dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, como a ameaça da volta ao mapa da fome. Faltam apenas doze anos para o fim do prazo do cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável pelo Brasil e os outros 192 países membros da ONU. Precisamos nos engajar e cobrarmos o comprometimento para a implementação das ações, programas e políticas neste horizonte. O que fazer daqui em diante? Além de conhecer a Agenda 2030 e os ODS, é fundamental que o setor privado, sociedade civil, junto com os gestores públicos se mobilizem para olhar para seus territórios e construírem juntos caminhos e soluções. Engaje-se neste processo!

 

* João Souza e Silva - Desenvolvimento de Operações da Welever Brasil

** Maitê Gauto - Especialista em ODS

Verde
Esquerda
 

Participe pelas redes sociais

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã está no Facebook, no Twitter, no Instagram, no YouTube e no Spotify

Participe de nossas conversas, compartilhe o conteúdo e vamos juntos construir o #BrasildoAmanhã. 

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã

Em tempos de tanta polarização, falar de eleições e de política não tem sido fácil para ninguém. O Brasil, os brasileiros e as brasileiras necessitam debater temas que nos são caros e que nem sempre estão na pauta política, de modo a desenvolver agendas propositivas para o país neste ano tão decisivo para o Brasil.

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã é uma iniciativa do Museu do Amanhã, com apoio da Fundação Roberto Marinho, da Globo, da GloboNews, do Instituto Clima e Sociedade (iCS) e do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). Ela foi criada para elevar o nível da pauta política de 2018. Esperamos que os debates realizados no Museu do Amanhã e as demais ações realizadas pela Plataforma 2018: Brasil do Amanhã nas redes sociais possam ajudar a esclarecer a sociedade e aproximá-la do processo político, pois, só assim, com a sociedade participando do processo político, vamos conseguir transformar e melhorar o nosso Amanhã.